Estudo de caso: Utilização do RoutEasy para análise de ociosidade de veículos

Estudo de caso: Utilização do RoutEasy para análise de ociosidade de veículos

Esse é um resumo do artigo apresentado no 4º Congresso Internacional de Logística e Operações (IFLog) sobre o ganho de produtividade na formação de rotas comparando a roteirização realizada pelo RoutEasy e a roteirização manual feita por uma empresa situada em Suzano-SP.

Os autores do artigo são: Alcir das Neves Gomes, Alexandre da Silva Sena, Douglas Carvalho Mariano e Enio Fernandes Rodrigues, professor IFSP Suzano. Esse resumo foi elaborado pelo Igor Menezes, consultor da RoutEasy.

Boa leitura!

Estudo de caso em centro de distribuição localizado em Suzano

Foi realizado um estudo de caso em um Centro de Distribuição, localizado em Suzano – SP, que consistiu em recriar rotas de entregas com o RoutEasy, buscando comparar as rotas otimizadas pelo roteirizador com as rotas criadas manualmente.

A abordagem foi desenvolvida em 4 etapas:

– Levantamento dos dados das entregas entre julho e outubro de 2016;

– Inserção de dados na plataforma RoutEasy, considerando uma frota de 10 veículos;

– Análise dos resultados obtidos e comparação com os resultados das operações realizadas, com o objetivo de identificar ociosidade;

– Pesquisa qualitativa identificando a opinião dos colaboradores quanto às funcionalidades e viabilidade de implantação.

Foram tabuladas as quantidades de entregas realizadas diariamente, chegando-se a 4.599 entregas, realizadas em 76 dias trabalhados, uma vez que não houve operação em alguns sábados e nos domingos compreendidos no período. A relação de entregas pelos dias trabalhados resultou em uma média de 60,51 entregas por dia. Buscando identificar eventuais sazonalidades, as informações foram organizadas de forma separada por mês, conforme exposto no gráfico 1. Foi possível observar que há uma grande variação nas quantidades de entregas de um dia para o outro, porém não foram identificadas sazonalidades em nenhum dos meses.

A simulação realizada considerou a recriação das rotas para 10 veículos, com prestação de serviço contínuo. Portanto, selecionou-se os 10 veículos que mais realizaram entregas no mês escolhido para o estudo, conforme detalhado no Quadro 1.]

Finalizando a etapa de levantamento de dados, com base nas informações apuradas e seleção dos dez principais veículos, restou um total de 689 entregas a serem analisadas e que tiveram como destino um total de 123 endereços diferentes. Tais informações possibilitaram a recriação das rotas de entrega com o uso do roteirizador, permitindo a análise do desempenho dos veículos, bem como possíveis ociosidades e oportunidades para redução da frota utilizada. Para possibilitar a recriação das rotas, os dados referentes às entregas foram transportados para a planilha padrão do RoutEasy, conforme Figura 1:

Para as especificações dos veículos, foram lançados os dados de acordo com as características de cada equipamento e negociações de diárias estabelecidas, resultando no resumo demonstrado no Quadro 2:

As restrições de operação foram configuradas de acordo com o modelo de operação da empresa: o tempo máximo de viagem foi adotado considerando uma jornada de trabalho diária de oito horas e tempo médio de deslocamento de ida e volta em torno de uma hora cada, considerando uma hora para almoço. A ocupação mínima e o tempo médio de atendimento foram estipulados de acordo com as peculiaridades da empresa. A adoção da velocidade média de 30 km/h levou em consideração o estudo de Zandonade e Moretti (2012).

– Jornada de trabalho: Das 07h00 às 18h00;

– Ocupação mínima: 60%;

– Tempo de atendimento no cliente: 20 minutos;

– Velocidade média: 30 km/h.

Resultados obtidos

Foram compilados os dados das operações realizadas no mês de outubro a fim de possibilitar a comparação com os novos dados obtidos com as simulações. Ao realizar uma análise inicial, constataram-se diferenças nas quantidades totais de entregas diárias entre o realizado e o simulado, por conta de muitas entregas no interior do Estado, que não haviam sido roteirizadas. Por conta das restrições inseridas referentes ao tempo máximo de viagem e ocupação mínima, o sistema excluiu aquele evento que implicasse na extrapolação do horário limite de operação e, da mesma forma, não criava uma rota para o evento excluído devido à restrição de capacidade mínima. Com isso, foram criadas rotas de entregas para o interior do estado com parâmetros mais flexíveis, adotando-se a velocidade média de 80 km/h, aproveitamento mínimo de 40% e jornada diária de 12 horas. Desta forma foi possível contemplar 100% da amostragem, chegando-se a um resultado favorável, confirmando a existência de ociosidade e possibilidade de otimização da frota:

A seguir uma das regiões estudadas onde o RoutEasy separou 25 pedidos em 5 veículos selecionados automaticamente (1 Toco e 2 Vans) com média de ocupação de 90%.

As melhorias obtidas com o RoutEasy foram:

– Redução de 31,63% nos valores de diárias;

– Redução da quantidade total de veículos contratados no mês: 26,4%, passando de 125 para 92;

– Utilização de veículos com melhor aproveitamento e menores diárias (dias 10 e 24)

– Ganhos significativos em eficiência e qualidade nas rotas de entrega.

Compartilhe:

VEJA TAMBÉM:

Roteirização e planejador de viagens

Roteirização: como usar um planejador de viagens de forma eficiente?

Para quem busca um setor de logística eficiente e dinâmico, a roteirização eficiente é uma pedra angular para o sucesso operacional das empresas. O uso inteligente de um planejador de viagens pode ser a diferença entre uma cadeia de suprimentos fluida e eficiente e uma série de desafios logísticos.  Neste artigo, vamos explorar em profundidade

Transport management system (TMS)

Transport management system (TMS): Descubra qual a melhor forma de implementar

À medida que a demanda por eficiência e controle na cadeia de suprimentos continua a crescer, as empresas estão cada vez mais adotando soluções avançadas, como o Sistema de Gerenciamento de Transporte (TMS). Mas implementar um TMS eficazmente pode ser um desafio.  Neste guia, exploramos as melhores práticas para implementação, ajudando você a otimizar sua

Automação na logística

Automação logística: O que é e quais as vantagens?

No cenário competitivo atual, a eficiência operacional é um dos principais fatores que determinam o sucesso de uma empresa. A automação logística emerge como uma solução inovadora para enfrentar os desafios de um mercado em constante evolução. Mas o que é automação logística e quais são suas vantagens?  Neste artigo, exploraremos essas questões e ofereceremos

luanatorres

Deixe uma resposta